Noite dos Óscares… a minha primeira vez

Ah pois é! Por incrível que pareça, hoje é a minha primeira noite de maratona dos Óscares. Já estou em modo “live from the Red Carpet”, powered by E! e estou a divertir-me imenso com os modelitos que por lá aparecem e com os comentários dos experts na matéria.

E como vivemos na era do tudo-acontece-ao-mesmo-tempo-em-todo-o-lado, também vou dando uma olhadela ao Facebook da Pipoca Mais Doce, onde se comentam os trapinhos das senhoras actrizes.

Não sou muito dada ao cinema, é um facto. O último filme que me dei ao trabalho de ir ver a uma sala foi o Avatar, vejam lá! Sim, foi prái há dois anos ou três e, desde então, mais nenhum me atraiu o suficiente para me fazer gastar os meus preciosos e parcos tostões.

Tenho uma filosofia muito prática e eficaz e que, na minha cabeça, faz imenso sentido. Porque carga de água é que vou gastar dinheiro para ver um filme que, dois ou três meses depois, posso ver no conforto do lar (cortesia do Zon Videoclube ou qualquer coisa do género)?

Sim, este é um pensamento típico de quem não aprecia toda a mística das salas de cinema e os rituais à volta do acontecimento… Mas paciência, é um defeito de fabrico que não consigo alterar.

(Pausa para coçar as frieiras que me transformaram três dedos da mão direita em perfeitos troncos de madeira!).

Voltando à Red Carpet, já vi alguns vestidos giritos, outros vestidos lindos de morrer e ainda outros sem piléria nenhuma… E isto só prova uma coisa: os gostos são particulares, não se devem discutir e é preciso ter algum cuidado na forma como se critica. Não somos obrigados a gostar do mesmo, como é óbvio, e há muitooooooooooooo tempo que vivemos num mundo “plenamente” livre, em que cada qual usa o que gosta e acha que lhe fica bem. O resultado, por vezes, não é o melhor… Mas viva a liberdade de escolha, de estilo e de ser!!!

Bem, e agora vou prestar atenção aos senhores da televisão. Talvez volte cá daqui a um bocadinho.

Óscares

Anúncios

Não sou grande fã de cinema, mas estes filmes marcaram-me. Não pelas histórias, mas pelos momentos em que os vi.

1. Cinema Paraíso – Tenho quase a certeza que foi o primeiro filme que vi com o meu pai. E lembro-me de ter chorado imenso, qual Madalena arrependida… Pobre Alfredo!

Cinema Paraíso

2. Crash (Colisão) – Tive que ver o filme para uma cadeira da Faculdade e salvou-me num exame. Amei a história e está eternamente ligado aos meus tempos áureos de menina universitária.

Crash

3. A Vida é Bela – Vi-o com um ex-namorado, num fim-de-semana no campo. As recordações do filme ficam; as pessoas, nem por isso!

A Vida é Bela

4. Saw (não me lembro qual, são tantos!) – Não tanto pelo filme, mas pelo pós-filme. Uma conversa animada com os senhores polícias da 40ª e um passeio fantástico pela Avenida da Liberdade, à noite e já com a iluminação de Natal.

Saw

5. Simpsons, o Filme – No cinema, com o ex-marido e a ex-sobrinha linda, de quem eu tenho tantas saudades. Os Simpsons são especiais. Faziam parte de um ritual diário e a música continua no meu telemóvel… Spider pig, spider pig, lá, lá, lá!

Simpsons, o Filme

6. Romeu e Julieta – Ui, velhinho, velhinho… Faz-me lembrar o cinema da terrinha que, entretanto, já fechou.

Romeu e Julieta

7. A Abelha Maia – Talvez a minha primeira incursão numa sala de cinema, com o meu tio (que ainda hoje é doido por desenhos animados, apesar de ter mais 30 anos do que eu). Lembro-me que encontrei 50$00 no chão. O meu sustento para um mês de rebuçados e pastilhas Gorila!

A Abelha Maia

8. Quem Tramou Roger Rabbit? – O primeiro filme que vi numa sala de cinema em Lisboa. No Império, antes de ser transformado numa daquelas Igrejas duvidosas.

Quem Tramou Roger Rabbit?

9. Twin Falls Idaho (Vida Comum)- Mais um filme “imposto” na Faculdade. E ainda bem!Twin Falls Idaho