Há dias em que sabe mesmo bem

Morar ao pé da praia…

Com (mais) um dia de sol fenomenal, toca de agarrar nas pernas e ir beber café à beira mar. Estive a torrar, a esplanar bem pertinho da areia e deu-me uma vontade tremenda de ir molhar os pezitos. Ganhei juízo e não fui…

Agora que já estou em casa, já está escuro e começa a fazer um frio tremendo, vou voltar ao Mestrado. Pesa-me a consciência e tenho um trabalho de Estratégia Empresarial para fazer. Não sei muito bem por onde começar, mas o dever fala mais alto!

Anúncios

Estou a dar em doida…

… com o raio das aranhas!

Odeio estes bichos. São os únicos que me fazem tremer da cabeça aos pés e, para infelicidade minha, também são os únicos que há aos pontapés nesta casa.

Bem sei que são calminhos, passam o tempo todo no seu cantinho e não chateiam muito. Mas para quem não gosta mesmo nada de aranhas, é desafiante dormir com uma Carlota no canto da parede.

Próximo passo: ir à civilização comprar repelente!

Agora, vou só ali olhar para ela e ver se se mexe, ou se posso continuar a dormir no quarto que tem vista para o rio!

 

Nota – Este post foi escrito no dia 18.07

Gosto mesmo disto

De passear no meio dos parques verdes, de ter uma praia só para mim, de respirar ar puro, de não conhecer ninguém, de não me importar com o que visto, de não ligar ao que faço, de me sentir bem comigo, de molhar os pés em todos os rios, ribeiros e riachos por onde passo, de me picar nas urtigas, de ver formigas por todo o lado, e aranhiços, e mosquitos, e moscardos, e abelhas, de dar banho ao cão com a mangueira no jardim, de ficar até às tantas da madrugada a conversar e a comer bolachas Maria na rua, de ter que subir escadas para ir para o quarto, de passar por uma “estrada” de terra batida para ir até à civilização, de almoçar no jardim, de fazer pic-nics na praia.

 

Gerês

Gerês

Gerês

 

Nota – Este post foi escrito no dia 16.07

Cheguei ao Paraíso!

Estou em Eirós (uma terrinha que a senhora do TomTom não conhece!), em pleno Parque Natural da Peneda-Gerês.

Arranjámos uma casinha linda, no meio da serra. Temos laranjeiras, macieiras, uma nascente nas traseiras da casa e uma cascata na lateral. Ah, e a praia fluvial faz parte da propriedade. É minha, todinha minha!

Durante uma semana, vou viver um dos meus sonhos: estar completamente fora do Mundo, sem preocupações, sem horários, sem rede, sem telemóvel, sem computador.

E, quando abro a janela do quarto, é isto que vejo. Todos os dias.

 

Gerês

 

Nota – Este post foi escrito no dia 15.07, mas só o publico hoje porque tenho paz, tenho rio, tenho ar puro, tenho pássaros de todas as cores e feitios… mas não tenho internet!