Quero tanto… Relógios e mais relógios!

Facto. Adoro relógios. 

Facto. Já tenho uma carrada de relógios. 

Facto. Não me importo de ter mais uns quantos relógios. 

Só não podem ser pequenos. Odeio relógios minorcas, que se perdem no meio das pulseiras. 

Os meus relógios têm que ser grandes, diferentes. Todos têm alguma coisa que os torna únicos e enchem-me de orgulho. São os meninos dos meus olhos! 

Tenho da Swatch, da One, da Calvin Klein, do chinês, da loja da esquina, do supermercado… Não me interessa o pedigree dos ditos (até porque os de marca foram todos oferecidos), têm é que ser especiais.

Ah, e tenho relógios de Inverno e relógios de Verão, relógios de fim-de-semana e relógios para a praia. Só há dois ou três que sou capaz de usar o ano todo, faça chuva ou faça sol. 

Agora, ando com os olhinhos nestes: 

Swatch

Adoro o raio do relógio!

  

One

Cores lindas. Perfeitas para o Verão!

 

Mas, como fazem parte do lote dos mais caros e a minha carteira está repleta de traças, lá vou ter que inventar uma ocasião especial qualquer para que alguém mos ofereça! 

E depois de os ter (com um bocadinho de sorte e uma boa dose de imaginação), lá vou eu a correr à ourivesaria para os apertar. Sim, este é um ritual pelo qual 90% dos meus relógios têm que passar. Género ritual de iniciação! 

O meu pulso é daqueles mesmo fininhos e, por isso, muito raramente encontro relógios que me fiquem au point. Ou é preciso fazer uns furinhos na bracelete, ou cortar as anilhas de metal. Uma seca! 

Mas, o que importa é que depois ficam lindos, perfeitinhos. 

Facto. Adoro relógios.

 

Anúncios