Iupiiii, yeyyy, wohoooo!!!

Feliz! Hoje estou mesmo muito feliz! Quase, quase a rebentar de tanta felicidade! 🙂

Recebi uma das melhores notícias dos últimos tempos. Meninos e meninas, começo a trabalhar na segunda-feira! E, maravilha das maravilhas, vou ter a oportunidade de fazer o que gosto (a cereja no topo de um bolo que, por vezes, é pouco doce).

Ainda estou em modo hiperactivo, mas estou a olhar para esta nova fase da minha vida com uma expectativa tremenda. Estou super motivada, só me apetece fazer 1001 coisas e dar o meu melhor, todos os dias, a todos os minutos.

Bem, por agora é tudo… vou só ali dar mais uns pulinhos de alegria (sempre dá para poupar no ginásio!).

Iupiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii, yeyyyyyyyy, wohooooooooo!  🙂  🙂  🙂  🙂  🙂  🙂  🙂

Já vos aconteceu

Terem uma vontade enorme de escrever, mas não saberem bem por onde começar?

Pois, estou num desses dias. E enquanto espero pela inspiração, lá marcha mais uma amêndoa de chocolate. Sim, porque para conseguir comer amêndoas, têm que estar cobertas de chocolate. E de preferência, daquelas em que a amêndoa é minúscula e o chocolate é para lá de muito!

Hoje andei a tarde toda na rua. Corri dois supermercados, comprei a prenda de anos da minha tia (dois vernizes lindos que podem sempre ser devolvidos à procedência), dei uma volta com o meu pai e com a minha Maria (para quem não sabe, a minha cadela), passei por duas Juntas de Freguesia (recados…) e ainda tive tempo para ir beber um café à praia. Estava um vento irritante, céu cinzento, mar bravo, mas soube bem. Muito bem. Ah, e entretanto ainda consegui pôr uns telefonemas em dia.

Conclusão: aguentei o jogo todo do Benfica de pestana aberta mas, assim que acabou, apaguei! Não sou do Benfica (cruzes canhoto!), mas fiquei tristinha com o desfecho. Foi deveras injusto para o jogo que fizeram. Cheguei a dizer que gostava que ganhassem só para ver o que acontecia com o Barcelona (ui, ui, que barrigada de riso!), mas dei por mim, a meio da partida, a torcer pelo Benfica e a querer (mesmo) que conseguissem virar o resultado. De coração e sem segundas intenções!

Agora, resta-me que o meu Sporting não me deixe ficar mal e que, pelo menos, tenha a mesma atitude do Benfica. Acredite, lute e traga para casa uma vitória merecida. Sim, não basta uma vitória; tem que ser merecida porque já estou farta de golinhos solitários e tentos conseguidos nos últimos minutos de jogo. Também contam, é certo, mas e que tal uma mão cheia de golos? Uma partida que nos encha de orgulho? Uma postura aguerrida e lutadora? Vá lá meninos, sei que conseguem e façam-me lá este favorzinho já que nunca vos pedi nada!

Amêndoas

Entre amêndoas, Sporting e Benfica, ganha o chocolate 😮

 

 

Noite dos Óscares… a minha primeira vez

Ah pois é! Por incrível que pareça, hoje é a minha primeira noite de maratona dos Óscares. Já estou em modo “live from the Red Carpet”, powered by E! e estou a divertir-me imenso com os modelitos que por lá aparecem e com os comentários dos experts na matéria.

E como vivemos na era do tudo-acontece-ao-mesmo-tempo-em-todo-o-lado, também vou dando uma olhadela ao Facebook da Pipoca Mais Doce, onde se comentam os trapinhos das senhoras actrizes.

Não sou muito dada ao cinema, é um facto. O último filme que me dei ao trabalho de ir ver a uma sala foi o Avatar, vejam lá! Sim, foi prái há dois anos ou três e, desde então, mais nenhum me atraiu o suficiente para me fazer gastar os meus preciosos e parcos tostões.

Tenho uma filosofia muito prática e eficaz e que, na minha cabeça, faz imenso sentido. Porque carga de água é que vou gastar dinheiro para ver um filme que, dois ou três meses depois, posso ver no conforto do lar (cortesia do Zon Videoclube ou qualquer coisa do género)?

Sim, este é um pensamento típico de quem não aprecia toda a mística das salas de cinema e os rituais à volta do acontecimento… Mas paciência, é um defeito de fabrico que não consigo alterar.

(Pausa para coçar as frieiras que me transformaram três dedos da mão direita em perfeitos troncos de madeira!).

Voltando à Red Carpet, já vi alguns vestidos giritos, outros vestidos lindos de morrer e ainda outros sem piléria nenhuma… E isto só prova uma coisa: os gostos são particulares, não se devem discutir e é preciso ter algum cuidado na forma como se critica. Não somos obrigados a gostar do mesmo, como é óbvio, e há muitooooooooooooo tempo que vivemos num mundo “plenamente” livre, em que cada qual usa o que gosta e acha que lhe fica bem. O resultado, por vezes, não é o melhor… Mas viva a liberdade de escolha, de estilo e de ser!!!

Bem, e agora vou prestar atenção aos senhores da televisão. Talvez volte cá daqui a um bocadinho.

Óscares

Há dias em que sabe mesmo bem

Morar ao pé da praia…

Com (mais) um dia de sol fenomenal, toca de agarrar nas pernas e ir beber café à beira mar. Estive a torrar, a esplanar bem pertinho da areia e deu-me uma vontade tremenda de ir molhar os pezitos. Ganhei juízo e não fui…

Agora que já estou em casa, já está escuro e começa a fazer um frio tremendo, vou voltar ao Mestrado. Pesa-me a consciência e tenho um trabalho de Estratégia Empresarial para fazer. Não sei muito bem por onde começar, mas o dever fala mais alto!

E não é que 3 meses depois…

… Estou de volta?! Ieiiiiiiiiiiiiiiiii…

Sosseguem os mais preocupados, descansem os mais inquietos. Não me aconteceu nada de mal, apenas uma falta de tempo tremenda e uns picos depressivos pelo meio.

Não, ainda não estou a trabalhar (e daí a queda para a “depressãonite” aguda), mas o Mestrado dá-me cabo da cabeça e do tempo que tinha de sobra! Trabalhos atrás de trabalhos, aulas que não têm fim, idas e vindas de Lisboa, horas e horas passadas no popó e nos belos autocarros da Carris.

Ufa… e agora juntem a doença da minha mãe, o desemprego e mais uns quantos problemas cabeludos pelo meio. Não há mente sã que resista!!!

Mas como eu sou teimosa como o raio, já ando de sorriso nos lábios (se bem que ainda um pouco amarelo) e cheia de força para aguentar mais uns tempinhos. O que vale é que, no meio disto tudo, tão depressa caio como me levanto! Já são muitos anos de experiência e a certeza que “virar” cinzentona não me ajuda em nada. Absolutamente nada!

Por isso, toca de levantar a cabecinha linda, adornada com um belo sorrisinho metálico meio amarelado, e seguir em frente. Tenho mais 20 mil trabalhos? Venham eles! E pelo meio ainda há uns quantos testes? Óptimo! Envio currículos atrás de currículos e ninguém me responde? Pelo menos sei que lhes entupo os e-mails! É uma merda sentir-me inútil? É, mas que se lixe!

E é com este espírito que se vai avançando… Devagar, bem devagarinho, género caracol molenga, mas ficar parado no mesmo sítio a remoer e a dizer mal (muito mallllll) da vida não resolve absolutamente nada. E quem fica a ganhar são os laboratórios do Prozac e do Xanax e outros que tais. E eu não estou para isso!

Pessoal, i’m back! Bela e formosa como uma formiga airosa!

 

Formiga Feliz

Bolas, o que me custou procurar esta imagem...